Mundo Nascente

Sessão 01 - 20/02/17

"Não é flor que se cheire."

. O grupo segue viagem mas Vezna é a única que tem receio em atravessar os trilhos. Amaneo encoraja a companheira a enfrentar seus medos de explorar o desconhecido e ajuda a cronista a cruzar os limites impostos pelo Ancião.

. Decididos a encontrar a fonte de luz misteriosa do Farol na costa, o grupo sai da estrada em ruínas, e guiados pelo batedor Zarran, adentram a mata densa e rumam para o sul.

. Caminham durante horas dentro da floresta. Úmida, silenciosa e encoberta por neblina.

. Zarran sofre com os desgastes da viagem e obriga o grupo a parar para ajudá-lo. Algum tempo depois, o batedor acaba acidentalmente rasgando um pedaço do traje protetor durante a caminhada. A expedição fica preocupada com os efeitos do ambiente sobre o batedor.

. A expedição encontra um pequeno animal em cima de uma árvore que foge com os olhares curiosos dos mutantes. Graças a esse encontro, momentos depois, Amaneo se indaga se a Zona é tão nociva assim como o Ancião falava.

. Depois de mais algumas horas de viagem a expedição decide montar acampamento e Hammer fica responsável pelo almoço. Amaneo aproveita a pausa para, afastado do grupo, tirar o traje de proteção e testar o ambiente a sua volta. Na volta, sem o traje, prova que é possível respirar sem a ajuda da máscara e que não precisam do traje para explorar a Zona. Zarran se arrisca e também tira o traje. Hammer e Vezna receosos, decidem não tirar. Uma discussão é iniciada.

. Seguindo o trajeto pela floresta por mais algumas horas, Vezna é atraída por odores vindos de pequenas flores coloridas pelo caminho. Farejando esses cheiros a cronista acaba sendo atraída por uma gigantesca Planta-Carnívora. Aproximando-se, é capturada por uma raiz da planta e começa a ser arrastada para a bocarra espinhosa do monstro.

. Uma batalha é travada. Hammer consegue arremessar Vezna para longe do emaranhado de raízes mas também fica preso. Amaneo arremessa seu bastão e acerta o monstro de raspão. Com uma investida e com um golpe preciso de seu tridente, Zarran corta a raiz e liberta o brutamonte. Longe das raízes, o grupo corre para longe e na fuga, distante uns bons metros, discutem se devem voltar e encarar a planta novamente, para que Amaneo recupere sua arma. A dúvida fica no ar.

Comments

RPGeiro

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.